quinta-feira, 26 de maio de 2011

O Recife em três cores



O RECIFE EM TRÊS CORES


Recife vestiu, ontem, as cores do Santa Cruz. Fosse na camisa dos torcedores, em cima dos dez trios elétricos ou em bandeiras hasteadas nos carros, o vermelho, o preto e o branco do clube enfeitaram as ruas da capital pernambucana na carreata de comemoração à conquista do título de Campeão Pernambucano - após cinco anos -, que começou pela manhã e terminou no final da tarde, na Avenida Boa Viagem, com show da banda Araketu. O JC tentou pegar uma estimativa do número de participantes com a Polícia Militar e a CTTU, mas não houve retorno. 
O domingo pode ser sinônimo de dia de folga, mas os tricolores acordaram cedo para prestigiar o time de coração. A saída estava marcada para as 9h, no Arruda, mas desde as 8h já havia muitas pessoas se preparando em frente à sede. "Cheguei antes pra garantir minha faixa de campeão e a bandeira", revelou o estudante Márcio Andrade, 18 anos.
O preço dos apetrechos variava entre R$ 10 e R$ 30, dependendo da pechincha. E, enquanto o comércio rolava solto, nas caixas de sons se escutavam os gols de Landu e Gilberto na final. "Sempre que escutar esses gols vou me emocionar. Este título foi especial, depois de tudo o que aconteceu", confidenciou a dona de casa Regina Maria, 46.
Muitos foram os corais com máscaras de bois, em alusão à folclórica história do Sport durante o Campeonato Pernambucano. Já o representante comercial Ângelo Giovani, 47, resolveu inaugurar a ideia do Fuscoral, ao pintar um fusca antigo com as cores tricolores. "Este carro uso com os amigos apenas para brincar no Carnaval. Ontem (sábado), pensamos em pintar com as cores do Santa Cruz", declarou.
A saída aconteceu apenas às 10h30. A reportagem do JC seguiu durante parte da carreata no trio do grupo de torcedores Santamante. Entre os gritos de guerra puxados pelo cantor e animador Chupa-cabra, estavam muitas provocações aos torcedores do Sport. Foram tocadas músicas com referências bovinas, como "É o boi!", de Claudinho e Bochecha, e o famoso brega de autor "Aí você faz mom".
Os trios, de uma forma geral, não seguiram juntos, o que acabou dispersando a torcida em grupos diferentes. Na chegada à Avenida Agamenon Magalhães, O JC flagrou brigas - alguns rubro-negros investiram nos carros, arrancando bandeiras e fazendo ameaças. Apesar de não estarem utilizando camisas do Leão, faziam sinais da Torcida Jovem.
O trânsito também ficou bastante complicado. Alguns carrosque trafegavam no sentido Olinda-Boa Viagem e não participavam fizeram retornos proibidos. Alguns, inclusive, chegaram a dar ré ou voltar na contramão na própria Agamenon, próximo da lombada eletrônica, na altura do Unicords. O trio trazendo a banda Araketu chegou à área de concentração - na Avenida Boa Viagem, na altura do 2º jardim - às 16h45, onde muitos torcedores já esperavam.


Publicado no Jornal do Commercio, Recife, segunda-feira, 23/5/2011 

2 comentários:

Bráulio de Castro disse...

Clovis, esse titulo foi um dos mais vibrantes do nosso Santinha, porém não me conformo com a direção do clube, que contratou uma banda que nada significa pra tradição tricolor(araketu).Para um time que no meio artistico tem mais de noventa por cento de torcedores,que são: cantores, compositores, atores e músicos, chamar artistas de fora, é uma vergonha!!!

Aristóteles Coelho disse...

As cores são bonitas, o time é o mais querido...mas a banda não faz a minha cabeça. É...o time é popular, fazer o quê?!