sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Eu já sabia!


O meio-campista Jackson

EU JÁ SABIA!

Clóvis Campêlo

Ontem, para mim, foi um dia especial. Além de comemorar o aniversário da minha mulher, Cida, pela primeira vez, meu neto Pedro Henrique foi a campo para ver o Santa Cruz jogar. E vencemos! Com dificuldades, mas vencemos!
E, verdade seja dita, se existiu um time que mereceu ganhar o jogo de ontem, no Estádio Arruda, esse time foi o Santa Cruz. E essa vitória pode ter sido uma das mais importantes, para nós, nos últimos anos.
Sabemos das limitações técnicas da nossa equipe. Sabemos que a vitória não foi construída em grande estilo. Foi um jogo duro, suado, dramático e sofrido. Mas, vencemos e isso é o que importa agora, nesse momento.
Como diz o poeta popular, “quem tem o mel, dá o mel; quem tem o fel, dá o fel e quem nada tem nada dá”. Ao vencer o Potiguar, ontem, meus amigos tricolores, tiramos leite de pedras. E se, permitindo-me um trocadilho e parafraseando outro poeta brasileiro, havia uma pedra no caminho, ela foi retirada com dificuldades, mas com valentia.
É claro que o resultado do outro jogo em Aracaju (Confiança 1 x 2 CSA) também nos ajudou e muito. Finda a rodada de ontem, quando, pela primeira vez na competição, mantivemos a segunda colocação do grupo com o mérito de uma vitória, gostei da declaração do treinador Givanildo Oliveira ao afirmar que ainda não temos garantida a nossa passagem à segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro de 2010. Essa classificação precisa ser confirmada, em campo, contra o CSA, no próximo domingo, em Maceió.
Com sua larga experiência como profissional do futebol, tanto como jogador quanto como treinador, Givanildo achou por bem conter a euforia manifestada pela torcida e pelos próprios jogadores dentro de campo, após o jogo. O desabafo foi justo, porém, mais do que nunca, vamos precisar de exercitar a nossa capacidade de superação diante do time alagoano, sem dúvida alguma, a grande surpresa dessa competição.
Formado às pressas, com jogadores emprestados por outras equipes, e entrando pela janela da competição, o Centro Sportivo Alagoano surpreendeu a todos com o seu rendimento de cem por cento, até o momento, e com a liderança inquestionável alcançada durante a competição.
A essa altura, só existe uma equipe capaz de quebrar com esse encanto e com esse aproveitamento. Essa equipe é o Santa Cruz, o mais querido de Pernambuco, o terror do Nordeste, como cantou Capiba na sua emblemática música.
Os tempos são outros, bem o sabemos, mas vamos invadir Maceió e, dentro de campo, conquistar a Terra dos Marechais. Vamos retirar mais essa pedra do caminho. Se o domingo foi azul celeste para nós, o futuro será tricolor.

Obs.: Crônica escrita após o jogo Santa Cruz 2 x 0 Potiguar, em 15.08.2010, e publicada originalmente no blog Inútil Paisagem.

Nenhum comentário: