segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Osso duro de roer



OSSO DURO DE ROER

Clóvis Campêlo

Dizem os entendidos em futebol que torcida não ganha jogo. É a mais pura verdade. Se não o fosse, nós, tricolores do Arruda, já estaríamos classificados com méritos e não teríamos amargado tantos empates e vitórias apertadas ao longo dessa Série D. Em termos de torcida, temos dado banho em grandes clubes do futebol brasileiro e provado, acima de tudo, que somos o Mais Querido de Pernambuco e temos a maior torcida do Estado. Alguém duvida disso?
Uma outra verdade irrefutável: folha salarial alta também não é suficiente para garantir vitórias. Se assim fosse, não teríamos ganhado o Campeonato Pernambucano de 2011, desbancando Sport e Náutico, primos ricos e prepotentes.
Porém, se no Estadual éramos os primos pobres entre os grandes do futebol pernambucano, na Série D do Campeonato Brasileiro temos uma das maiores folhas de pagamento, um treinador competente e reconhecido, e estamos comendo o pão que o diabo amassou para derrotar equipes consideradas menores e de centros futebolísticos mais atrasados.
Dentro de campo, companheiros corais, principalmente na Série D, são onze contra onze e o que vale é a raça, a determinação e a capacidade de superação de cada um. Por isso que Zé Teodoro tem insistido tanto na ressurreição do “espírito do estadual”, essa entidade mística que nos permitiu a superação e a conquista de um título importantíssimo para o nosso ego e nossa auto-estima.
Ontem, no Arruda, mais uma vez, nós sentimos isso na pele. O time do Coruripe valorizou sobremaneira a nossa vitória e deixou claro que lá, em Alagoas, na noite do próximo sábado, não encontraremos moleza alguma. O time alagoano, sintomaticamente chamado de Hulk por seus torcedores, já demonstrou que tem qualidades técnicas e que tem disposição para a briga. E isso tudo, o Santinha terá de superar dentro de campo com muita garra e espírito de luta.
Além do mais, não poderemos contar com o zagueiro Leandro Souza, expulso aos seis minutos do segundo tempo do jogo de ontem, e corremos o risco de também não contarmos com o atacante Tiago Cunha, que será julgado na quinta-feira, por sua expulsão impensada em João Pessoa, no jogo contra o Guarani de Juazeiro.
Passando pelo Coruripe, possivelmente enfrentaremos o Treze de Campina Grande, que derrotou em casa ao Santa Cruz potiguar, por 3x1.
Na vitória de ontem, jogamos com Tiago Cardoso; Memo, Leandro Souza, André Oliveira e Dutra; Chicão, Washington (Geovânio), Wesley e Natan (Éverton Sena); Fernando Gaúcho e Tiago Cunha (Jéferson Maranhão). Técnico, Zé Teodoro. Público de 44.642 pessoas para uma renda de R$ 454.245. Gol solitário de Tiago Cunha.

Um comentário:

Bráulio de Castro disse...

Bota osso duro nisso. Eu acho que é mais duro do que osso de pai de chiqueiro depois de desenterrado.