domingo, 4 de setembro de 2011

Uma morte anunciada



Uma torcida maior do que a mediocridade dos dirigentes

UMA MORTE ANUNCIADA

Clóvis Campêlo

Quando o presidente do Guarany de Sobral, após o primeiro jogo no Arruda, anunciou que o time do Santa Cruz estava morto, todos nós trememos na base.
Os 50 mil torcedores que estiveram no Estádio do Arruda e viram a dificuldade em batermos o adversário, no íntimo, temiam isso.
Restava, no entanto, mais uma esperança de que, em campo, a equipe conseguisse a superação e arrancasse ao menos o empate que nos serviria para prosseguirmos na nossa via crucis na Série D.
Quem esteve no Arrudão, no dia 5 de setembro, quando a duras penas vencemos o bugre sobralense por 4x3, teve consciência das nossa limitações técnicas e táticas. Nesse último quesito, aliás, levamos um verdadeiro banho. O técnico do time cearense soube se impor ao esquema tático de Givanildo Oliveira e, por muito pouco, não saiu de campo um com um resultado ainda mais favorável.
Por isso tudo e muito mais, sabíamos que o jogo em Sobral seria uma pedreira. Se na nossa casa, diante de uma torcida numerosa, a equipe cearense teve personalidade e qualidades para se impor técnica e taticamente, só mesmo a paixão tricolor e uma esperança desvairada poderiam manter em nós, torcedores, a possibilidade de um resultado positivo para as nossa cores.
Se no primeiro jogo, Givanildo errara nas substituições e não tivera a perspicácia de anular as mudanças táticas impostas pelo time cearense, no segundo jogo, ao armar um esquema excessivamente defensivo, tacitamente admitiu a nossa inferioridade.
Consideremos, porém, que não havia muito o que se fazer diante da verdade dos fatos, a não ser apelar para a sorte, que, dessa vez, não nos protegeu.
Daqui até o final do ano só nos resta agora o Campeonato do Nordeste e a Copa Pernambuco, que, inapelavelmente, deverão servir de laboratório para montarmos uma equipe competente e que nos permita disputar com méritos e brios o Campeonato Pernambucano de 2011.
Penso que dessa equipe que disputou a Série D do Campeonato Brasileiro de 2010, pouquíssimos jogadores poderão e deverão ser aproveitados. Para nós, tricolores conscientes, esses que aí estão já demonstraram a sua incapacidade técnica e psicológica para defender o clube mais querido de Pernambuco.
Aliás, com pouco dinheiro, com um presidente ausente do dia a dia do clube e com um elenco bastante limitado, dificilmente chegaremos a algum lugar. A problemática é essa, fácil de ser constatada. Difícil, será encontrar a solucionática.

Obs.: Crônica escrita após o jogo Guarany de Sobral 2 x 0 Santa Cruz, em 12.09.2010, e postada originalmente no blog Inútil Paisagem.

Nenhum comentário: