domingo, 13 de novembro de 2011

Mais uma chance



MAIS UMA CHANCE

A partir do próximo domingo, o Santa Cruz inicia, fora de casa, a disputa para conquistar o seu primeiro título brasileiro, da Série D. Esta será a quarta vez que os tricolores ficam próximos de uma conquista nacional. As outras três aconteceram por divisões superiores. Uma pela Série A e duas pela B.
A primeira grande campanha coral em nacionais aconteceu em 1975 (chamado na na época de Copa Brasil), o timaço comandado por Givanildo Oliveira, Mazinho, Ramon e Fumanchu assombrou o futebol brasileiro ao chegar à semifinal. Foi a melhor campanha de um clube do Norte e Nordeste na competição até então, desde que a CBF instituiu o Brasileirão, em 1971.
Dono de melhor campanha, o Santa ganhou o direito de disputar o jogo único da semifinal, contra o Cruzeiro, pelo empate e no Arruda. E a vaga inédita na decisão estava garantida até os 45 minutos do segundo tempo, quando Palhinha, para muitos impedido, fez o gol da vitória mineira por 3x2.
O Santa perdia assim a chance de se classificar pela primeira vez para a Libertadores, em uma época em que a competição continental era vista de maneira bem diferente da atual. "Todos falam que a Libertadores é um torneio deficitário, mas eu e todos aqui queríamos participar", disse o zagueiro e hoje técnico Levir Culpi, à época, ao JC.
O tricolor só voltaria a ficar próximo de uma conquista nacional 24 anos depois. Pela Série B de 1999, após uma primeira fase cambaleante e uma classificação surpreendente sobre o favorito São Caetano nos playoffs semifinais, o o Santa foi para o quadrangular final ao lado de Goiás, Viloa Nova-GO e Bahia. Com uma campanha 100% no Arruda, o Santa chegou à última rodada, contra o Goiás, no Serra Dourada, precisando de uma vitória para conquistar o título. Ao mesmo tempo, um empate garantia o acesso tricolor e dava a taça para os goianos. Os corais não quiseram arriscar: 0x0 insosso e bom para ambos.
Seis anos depois veio talvez a chance mais clara de um título brasileiro. Dono de uma campanha quase irretocável durante quase toda a Série B, o Santa chegou à última rodada do quandrangular final precisando de uma vitória sobre a Portuguesa, no Arruda, e um tropeço do Grêmio diante do Náutico, nos Aflitos, para ficar coma taça. O papel do Santa foi feito. Vitória de virada por 2x1. No entanto, ninguém contava com a famosa Batalha dos Aflitos. Título heróico do Grêmio e volta olímpica frustada no Arruda. "Espero que o Santa não perca mais essa oportunidade. Mesmo sendo da Série D é para se orgulhar", disse Carlinhos Bala, ídolo coral em 2005.

AS CAMPANHAS DO SANTA

1975 - SEMIFINALISTA SÉRIE A
A campanha: 30 jogos, 14 vitórias, 10 empates, 6 derrotas, 42 gols marcados e 27 gols sofridos.
Time base: Jair; Carlos Alberto Barbosa, Lula, Levir Culpi e Pedrinho; Givanildo Oliveira, Carlos Alberto Rodrigues e Mazinho; Fumanchu, Ramon e Pio. Técnico: Paulo Emílio.

1999 - VICE-CAMPEÂO DA SÉRIE B
A campanha: 30 jogos, 14 vitórias, 4 empates, 12 derrotas, 33 gols marcados e 38 gols sofridos.
Time base: Nílson; Arley, Tinho, Janduir e Marquinhos; Hélder, Marcílio, Marcelinho e Márcio Allan; Valdomiro e Cláudio Millar. Técnico: Nereu Pinheiro.

2005 - VICE-CAMPEÃO DA SÉRIE B
A campanha: 33 jogos, 19 vitórias, 7 empates, 7 derrotas, 52 gols marcados e 34 gols sofridos.
Time base: Cléber; Osmar, Carlinhos Paulista, Valença e Xavier; Júnior Maranhão, Andrade, Lecheva e Rosembrick; Carlinhos Bala e Reinaldo. Técnico: Givanildo Oliveira.

Publicado no Jornal do Commercio, Recife, em 06/11/2011


Nenhum comentário: