terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sem o direito de errar



SEM O DIREITO DE ERRAR

Clóvis Campêlo

Domingo próximo passado, em Juiz de Fora, a Cobra Coral levou uma bicada firme do Galo Carijó. O resultado de 1x0 pra o Tupi, por si só, não diria nada se não estivesse sendo disputado o primeiro jogo da final da Série D do Campeonato Brasileiro de 2011. Agora, no próximo dia 20, no Estádio do Arruda, o Santinha terá a obrigação de construir uma vitória com uma diferença de dois gols para não ter que disputar o título nos pênaltis.
E é justamente isso o que nos preocupa: a incapacidade do nosso ataque de transformar em gols as situações ofensivas criadas. Ao longo do torneio, em 17 jogos, contra equipes sem muita tradição no cenário esportivo brasileiro, só em duas partidas marcamos três gols. Em que pese o nosso domínio e bom desempenho em várias contendas, como aconteceu no próprio jogo contra a equipe mineira, os nossos atacantes não conseguiram vazar a meta adversária e dar à sua grande torcida a segurança necessária para uma decisão.
Apesar de toda a tranquilidade demonstrada por Zé Teodoro e pelo elenco, isso me preocupa. Por conta do nosso histórico de ineficiência no ataque, não sei se será tão fácil reverter essa situação.
Mas, afinal quem é esse Galo Carijó que ameaça a Cobra Coral?
O Tupi foi fundado no dia 26/5/1912 e apesar de ter completado este ano 99 anos de existência tem um currículo fraquíssimo quando se trata de títulos conquistados. Em 2001, ganhou o Módulo II do Campeonato Mineiro (que equivaleria à 2ª Divisão Estadual). Em 2008, a Taça Minas Gerais. Tem duas participações na Copa do Brasil, em 2004 e 2009, terminando o torneio, respectivamente, em 30º e 36º lugar. Nunca disputou os Campeonatos Brasileiros das Séries A e B. Na Série C, a melhor posição ocupada foi o 4º lugar em 1997. Esse é o time que ameaça o nosso primeiro título nacional.
Se ao longo da Série D o Santinha soube superar as suas limitações e avançar, não deve ser agora que a equipe coral vacile e deixe escapar pelas mãos a possibilidade de ganhar o torneio. Se isso ocorrer, amigos corais, será um grande vexame.
Domingo passado, em Juiz de Fora, jogamos e perdemos por 1x0 para o Tupi das Alterosas com Tiago Cardoso; Leandro Souza, André Oliveira e Jeovânio (Renatinho); Eduardo Arroz, Memo, Chicão, Weslwy e Dutra; Flávio Recife (Ludemar) e Fernando Gaúcho (Kiros). Treinador, Zé Teodoro. Público de 14.726 pessoas para uma renda R$ 131.160.


Nenhum comentário: