quinta-feira, 29 de março de 2012

Depois do Penarol, um rol de penas


DEPOIS DO PENAROL, UM ROL DE PENAS

Clóvis Campêlo

Houve uma época recente em que subir a Serra das Russas era um perigo para o Santa Cruz. Parecia que o semi-árido não nos fazia bem, enfraquecia-nos e sempre terminávamos voltando de Caruaru com uma derrota na bagagem, indiferentemente de que o nosso adversário fosse Porto ou Central.
Mas, as águas de março trouxeram mudanças, mesmo com a lembrança ainda amarga do Penarol. Aliás, quer nos parecer que aquela derrota foi um divisor de águas para nós. Nada como uma dia atrás do outro e uns acochos por parte da torcida no meio pra que as coisas mudassem. E hoje, em vez do Penarol, temos é um rol de penas: penas de Patativa e de Gavião. Um saco cheio. Os bípedes emplumados nativos terminaram por nos pagar o pato da zebra alienígena. Este ano, Caruaru ainda não nos meteu medo e a Cobra Coral, lá, reinou suprema.
Ontem foi a vez do Porto levar a sua lapada regeneradora. 3x1 foi um placar ameno para a boa partida realizada pelo Santinha, mesmo sem alguns titulares. Como disse Zé Teodoro após a peleja, o importante é ter um elenco de bom nível, onde os reservas possam entrar na equipe sem alterar-lhe o ritmo. E o resultado consolidou antecipadamente a nossa presença no famigerado G4.
Gostaria de aqui abrir um parêntese para falar de Natan, o garoto bom de bola e que apesar de estar entrando no time no decorre dos jogos, tem deixado a marca da sua competência e qualidade técnica refinada. Foi assim contra o Araripina, no sábado passado, e foi assim contra o Porto, ontem. Com ele em campo, melhora a qualidade do sistema de armação coral e a bola chega com mais frequência e eficiência ao ataque. Precisa apenas adquirir uma melhor condição física e muscular para se firmar de vez como um dos grandes nomes do futebol pernambucano atual.
Com a vitória de ontem, chegamos à sexta vitória consecutiva no Estadual 2012, deixando de lado as oscilações do começo e estabelecendo uma regularidade impressionante. Foram 18 pontos conquistados e que nos projetaram de forma definitiva de volta ao grupo de elite da competição. Resta saber agora como o time vai se comportar no próximo domingo, contra o Náutico, no Arruda, já que ainda não ganhamos nenhum dos clássicos disputados. Como o Náutico precisará da vitória para se garantir no G4, tudo indica que teremos espaços para jogar abertamente. O jogo promete.
Ontem, em Caruaru, contra o Porto, perante um público de 5.635 pessoas, e com gols de Dênis Marques, Chicão e Flávio Recife, jogamos e vencemos com Tiago Cardoso; Vágner, William Alves e André Oliveira; Diogo, Sandro Manoel, Chicão, Luciano Henrique (Natan) e Renatinho; Geílson (Flávio Recife) e Dênis Marques (Branquinho).

Nenhum comentário: