segunda-feira, 28 de maio de 2012

Entre reis e carreatas


ENTRE REIS E CARREATAS

Clóvis Campêlo

Sempre vai aparecer alguém querendo fazer comparações entre Pelé e algum outro jogador que quebre alguma marca. Principalmente, com jogadores argentinos.
Quando ainda estava na ativa, Pelé era o Rei e o atacante Ivair, que jogava na Portuguesa de Desportos, era o princípe do futebol brasileiro, Hoje, ninguém mais fala em Ivair, enquanto Pelé ainda reina absoluto no reino das estatísticas.
Um outro jogador que gostavam de comparar com Pelé, era Eusébio. Nascido em Moçambique, na época colônia de Portugal, Eusébio defendeu a seleção portuguesa por muito tempo e tinha uma apurada qualidade técnica, sem que, no entanto, se equiparasse ao nível técnico de Pelé.
Depois apareceu Maradona, um craque dentro de campo e uma pessoa complicada fora dele. Para delírio dos hermanos, tentaram sem êxito fazer dele o sucessor do Negão.
Agora, tentam levar Messi a essa condição, comparando o seu desempenho na atual temporada com os números obtidos por Pelé em 1958, quando ainda era um adolescente de 17 anos surgindo no Santos e na Seleção Brasileira.
Eu, particularmente, acho que Messi, que já tem 24 anos de idade, ainda deve crescer e aparecer.
Como diz Bráulio de Castro, melhor do que Pelé e Garrincha, só Tará, ídolo do Santinha nos anos 30 e 40.
Ontem, camaradas corais, foi o dia da nossa carreata em comemoração à conquista do bi estadual. O nosso trem das três cores invadiu o Recife e deu um colorido diferente ao último domingo do mês de maio. O povão esteve nas ruas sorrindo a toa, mostrando os dentes de felicidade.
Agora é esperar que acabe logo essa palhaçada da suspensão das Séries C e D do Brasileirão para que possamos ver a Cobrinha entrando no gramado novamente.

Um comentário:

Bráulio de Castro disse...

É isso mesmo Clóvis, acho muito dificil aparecer outro Pelé, outro Garrincha e outro Tará.