terça-feira, 15 de maio de 2012

Pro dia nascer feliz


PRO DIA NASCER FELIZ

Alberto Félix, de São Paulo

Camaradas Corais do Pina, Brasília, Cordeiro e arredores!
Moreninhas, nada como ser bi vice.
Agora quem dá bola é o Santa.
O corvo Edgard, secador profissional com PHD e o escambau, amigo pessoal de Xico Sá, posou na ilha de lost, não deu outra o boi deitou.
Ernest Hemingway, escreveu “Paris é uma festa” eu digo Recife é uma festa.
Nossa vitoria deixa claro, que ninguém nunca mais duvide dos guerreiros corais.
Meu domingo.
Fui a missa (sem a camisa do Santinha, dá um azar arretado) desde um fatídico domingo de ramos de tempos atrás.
Marchei para o estadio municipal de Osasco, o GEO (Grêmio Esportivo Osasco) jogava com o Rio Branco de Americana, só para cumprir tabela.
E meu coração no Arruda.
O outono, afiou suas laminas de ventos gelados e chegou com gosto de gás aqui em Sampa.
Outonal domingo, frio e molhado, foi difícil tomar uma breja, mas, não roí a corda, eu, um corintiano e um baiano torcedor do mengo, fomos pra de cima de meia dúzia de breja e três lapadas após o jogo do GEO, que terminou empatado em zero a zero.
Rapaz, tinha uma bandeirinha galega com umas lapa de coxa que só tu vendo!
Dia das Mães, a chefia aqui de casa foi para casa da mãe dela, eu tinha dado um plantão de doze horas e estava cheio de sono, plantão noturno é lasca.
E meu coração no Arruda.
Passei no mercadinho aqui defronte de casa comprei um galeto e cerveja por segurança porque depois fecha tudo, ai é foda para tomar uma.
Chego em casa, ligo o computador boto na radio jornal.
Ouvi o gol de Branquinho
O sofá me abraçou.
Acordei altas horas, com os meninos aqui de casa gritando.
É bicampeão!

Nenhum comentário: