quinta-feira, 8 de maio de 2014

Santa Cruz 3 x 1 Lagarto


SANTA CRUZ 3 x 1 LAGARTO

O Santa Cruz, o clube das multidões, acostumado aos grandes públicos no Arruda, teve que jogar sem a presença da sua imensa torcida, na noite desta quarta-feira (7/5), nos Aflitos, de portões fechados. Uma punição imposta pelo STJD, que interditou o José do Rego Maciel depois da morte do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, na última sexta-feira, após o jogo contra o Paraná pela Série B. Assim, o torcedor coral ficou impedido de assistir a classificação do time à segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Lagarto-SE por 3x1 encerrando uma sequência de seis jogos sem vitória. No jogo da ida, o time coral havia vencido por 1x0. Agora, vai enfrentar o Botafogo-PB. O primeiro confronto está marcado para o dia 14, em João Pessoa.
Nos últimos anos, o Santa Cruz chamou a atenção devido a paixão da sua torcida. Na Série D de 2011, a média de público foi de 36.900 espectadores, no Arruda. O tricolor ficou na 39ª colocação entre os 100 clubes do mundo, à frente de Corinthians e Flamengo, donos das maiores torcidas do Brasil. Na temporada de 2013, foram 60 mil na partida em que o time venceu o Betim-MG por 2x1, que garantiu o acesso à Série B. Na quarta-feira, o público ficou por conta dos moradores dos prédios em volta dos Aflitos. Alguns torcedores até colocaram bandeiras tricolores nas janelas e também um cartaz pedido paz no futebol.
"Não é fácil jogar sem torcida. O futebol fica vazio", disse o meia Carlos Alberto ao entrar no campo do Eládio de Barros Carvalho.
Um primeiro tempo morno, sem a emoção da torcida, o Santa Cruz não conseguia encaixar o seu jogo, exagerando nos lançamentos longos. Mesmo assim, chegou a criar algumas oportunidades. Mas, foi o Lagarto que assustou aos oito minutos em um chute do lateral-esquerdo Índio, com a bola passando rente ao travessão. O tricolor, porém, desperdiçou uma grande chance de abrir o placar. O atacante Leo Gamalho dividiu com o goleiro Santos, ganhou a jogada, mas com o gol vazio, finalizou para fora, aos dez minutos.
O Lagarto não se intimidou e passou a atacar, mas sem objetividade. O Santa Cruz, sem criação no meio-campo, pois Carlos Alberto e Luciano Sorriso não acertavam a ligação com o ataque, terminou levando um susto aos 23 minutos. Após um cruzamento na área, o zagueiro Renan Fonseca tentou rebater e a bola foi trave, quase um gol contra.
A equipe tricolor melhorou a saída de bola e teve outra chance com Leo Gamalho, aos 35 minutos. O atacante entrou na área e finalizou em cima de Santos. Em seguida, o Lagarto respondeu. Índio arriscou de fora da área e Tiago Cardoso fez grande defesa. Mas, aos 45, Luciano Sorriso finalmente acertou um belo lançamento. O atacante Flávio Caça-Rato, que não estava bem no jogo, entrou na área e bateu forte no canto esquerdo para fazer 1x0.
No segundo tempo, o Santa Cruz voltou com o meia Raul na vaga do volante Memo. O time, no entanto, demorou a se impor. Por isso, tomou um susto aos 16 minutos. Índio cruzou e o atacante Nílson Sergipano, de cabeça, mandou a bola na trave de Tiago Cardoso. Em uma jogada idêntica, Índio, sempre ele, fez outro cruzamento e o volante Jucimar, livre, cabeceou no canto esquerdo para empatar.
O gol despertou o Santa Cruz. O time foi para cima do Lagarto. Aos 30, Leo Gamalho não errou. Ele deu giro em cima de Válter e bateu forte para fazer 2x1. O time sergipano sentiu o golpe. Assim, aos 42, Luciano Sorriso cruzou da esquerda e o zagueiro Everton Sena, de cabeça, fechou a vitória em 3x1.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Renatinho; Sandro Manoel, Memo (Raul), Luciano Sorriso e Carlos Alberto (Jefferson Maranhão); Flávio Caça-Rato (Adílson) e Leo Gamalho. Técnico: Sérgio Guedes.

LAGARTO: Santos; Nequinha, Roni, Válter e Índio; Rafael Bahia, Fernando (Pedrinho), Jucimar (Felipe) e Da Matta; Nílson Sergipano (Leo Porto) e Nadson. Técnico: Luiz Pondé.

Local: Aflitos. Árbitro: Avelar da Silva (CE). Assistentes: Arnaldo de Souza e Marcos Brígido (CE). Gols: Caça-Rato, aos 45 do 1º tempo, Jucimar, aos 26, Leo Gamalho, aos 30, e Everton Sena, aos 42 do 2º. Cartões amarelos: Sando Manoel, Carlos Alberto (S), Nequinha, Santos, Roni, Índio e Nílson Sergipano (L). Renda e público: jogo de portões fechados.

Fonte: JC On Line

Nenhum comentário: