terça-feira, 20 de janeiro de 2015

A fala do presidente


A FALA DO PRESIDENTE

Pedro Galindo

Próximo de completar um mês na presidência do Santa Cruz, Alírio Moraes ainda lida com temas que marcaram os dias finais da gestão anterior. Questões como o novo placar eletrônico e os atrasos salariais, que tantos prejuízos geraram em 2014, além do Centro de Treinamento - uma de suas principais promessas de campanha - ainda são pautas a resolver no clube. E se somam a outros assuntos da nova temporada, como a busca por excelência no departamento de marketing para criar receitas adicionais dentro de um cenário de restrições financeiras.
Sobre todos esses temas, o mandatário conversou com a reportagem do Superesportes na manhã desta segunda-feira. Ele falou sobre os embates entre as lideranças do clube quanto aos rumos que serão tomados para tornar realidade o sonho do CT, bem como seus projetos para profissionalizar o marketing tricolor, que, segundo ele, recebeu um “puxão de orelha” da empresa que atualmente fornece o material esportivo coral. Confira a entrevista:

UNIFORME

Estive na Penalty para resgatar o nosso ambiente de fornecimento do enxoval de 2015. Foi muito importante essa nova visita porque estava havendo um hiato muito grande desde o ano passado por força da incipiência do trabalho da área de marketing do clube. A gente percebeu isso imediatamente, pois a Penalty fez muitas reclamações, e nós finalizamos todo o processo que já estava aprovado desde 2014. No padrão de 2015, a gente pouco pôde acrescentar porque já estava todo aprovado, mas eles tiveram o cuidado de chamar o pessoal da criação e a gente conseguiu fazer uma observação ou outra. A ideia é que se jogue já no dia 1º de fevereiro com o padrão novo.

CENTRO DE TREINAMENTO

Ainda ontem (domingo), conversávamos com Ricardinho, Sandro e Ataíde, lá no hotel. E a gente chegou à conclusão que, de fato, deve tentar fazer pelo menos um campo ou dois e um alojamento, para o pessoal começar a treinar. A questão agora é conciliar esse ponto de vista dentro do clube, porque a comissão patrimonial entende que deve tocar o projeto como um todo, com todas as etapas fechadas. Isso demandaria um prazo mais longo pra gente chegar no estágio de ter campo para treinar.
No nosso ponto de vista, a gente deve tentar viabilizar pelo menos essa primeira etapa, esses campos em harmonia com o projeto, e o alojamento. Ricardinho nos colocou que, se a gente viabilizar isso, ele deslocaria todos os nossos treinos para essa estrutura a ser montada em Aldeia. Então, essa semana, estou retomando essa conversa com a Comissão Patrimonial e as outras diretorias para a gente ver que caminho tomar. O que eu vou defender, naturalmente, é que se comece imediatamente, para a gente ter essa estrutura em dois ou três meses. É hoje uma necessidade do clube, a gente está muito prejudicado sem esses campos.
Ao contrário do presidente patrimonial, Alírio quer pressa no CT para ter, pelo menos, a estrutura básica

FESTA DE ANIVERSÁRIO

Agora, no aniversário do clube, nós vamos montar um quiosque. Estamos retomando a loja, que provavelmente será terceirizada e voltará a vender Penalty, que é o padrão que a gente usa. Vai ser uma festa bacana, que está sendo montada com muito carinho, com show dos nossos artistas do Santa Cruz.

TERCEIRIZAÇÃO DO MARKETING

Conversamos com a Pluri Consultoria, para desenvolver a ideia de uma prestação de serviços na área de marketing. Provavelmente, eles vêm aqui por esses dias, com uma proposta da gente terceirizar a diretoria de marketing, e eles dirigirem essa diretoria de São Paulo. Estamos aguardando. Essa proposta da Pluri está sob análise. Eu preferi ser mais conservador nessa coisa de patrocínio máster. Vamos esperar, porque a Pluri já tem na gaveta uma proposta para o Santa Cruz e é isso que vamos discutir essa semana.
A gente percebe como a gente é acanhado nessa área, e eles acreditam que não há motivo nenhum para haver essa distância. Eles acham que o Santa Cruz precisa pensar grande, do tamanho que é o clube efetivamente. Então, dentro dessa visão, eu estou muito empenhado em abrir essa discussão do marketing. Vamos ver se a gente consegue convencer o nosso colegiado para ser ousado nessa área e fazer um teste com esse pessoal.
Alírio Moraes diz que placar ficou em segundo plano após ter que pagar dívidas do Santa de 2014

PLACAR

Eu acho até que isso é um factoide. Primeiro porque a compra do placar naturalmente feita num final de gestão, com parcelas a vencer já no outro mandato, por si só já implicaria que a gente fizesse uma análise financeira da operação.
Para dar uma ideia, essa semana eu estou liquidando praticamente R$ 400 mil dos jogadores que saíram, a segunda e última parcela de toda aquela leva de jogadores do ano passado. Então, não precisa dizer que estou fazendo uma opção de resolver as pendências mais imediatas, para não gerar aquela questão do círculo vicioso de ações trabalhistas que vêm contaminando o planejamento do clube nos últimos anos. Então, o fechamento do placar ficou sendo um processo secundário.
Mas esse placar será comprado ainda em janeiro. Como a gente tem receitas previstas pra entrar, a gente pretende pagar até o fim do mês. Foi feita uma compra em duas parcelas. A gente podia ter feito um leasing e estar pagando dentro de uma comodidade muito maior. Mas o pagamento eu tenho que acomodar à realidade do clube.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 19/01/2015

Nenhum comentário: