sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Julgamento


JULGAMENTO

Emanuel Leite Jr.

Os três acusados de assassinar o torcedor Paulo Henrique Gomes da Silva com um vaso sanitário, no dia 2 de maio de 2014, após o jogo entre Santa Cruz e Paraná, pela Série B, serão levados à Júri Popular provavelmente ainda este ano. Essa foi a decisão do juiz Jorge Luiz dos Santos Henrique, proferida nesta quinta-feira, após audiência de cinco horas de duração no Fórum Rodolfo Aureliano, na Joana Bezerra. Os três responderão pelos crimes de homicídio consumado e por três tentativas de homicídio.
A audiência de instrução e julgamento de hoje deu sequência ao rito iniciado no dia 17 de dezembro de 2014. Falaram a delegada Gleide Ângelo - responsável pela condução do inquérito policial - como última testemunha de acusação e duas testemunhas da defesa de Luiz Cabral. Na sequência, foi a vez dos interrogatórios de Cabral, Waldir Pessoa e Everton Filipe, nesta ordem. Após as alegações finais da acusação e defesa, o juiz proferiu a sentença de pronúncia, ou seja, decidiu por encaminhar o caso ao Tribunal do Júri.
O agendamento da audiência vai depender da pauta da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital. O magistrado, através da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, confirmou o Júri Popular deve ocorrer ainda este ano. O promotor Roberto Brayner se mostra mais confiante. “Acredito que talvez ainda possa ser no primeiro semestre”, afirmou.
A defesa dos acusados, segundo o advogado de Everton Filipe, Adelson José da Silva, vai seguir a sustentar a tese de que os réus não tinham a intenção de matar ninguém e que o ato de atirar o vaso sanitário teria sido um protesto contra a má fase do Santa Cruz. O promotor Roberto Brayner, contudo, acredita que não restam dúvidas do dolo. "Para o Ministério Público, a prova de que eles tinham intenção de matar é evidente”, argumentou.

Fonte: Diario de Pernambuco, Recife, 05/02/2015

Nenhum comentário: