quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Sinal de alerta


SINAL DE ALERTA

Felipe Amorim

Derrotas nos dois primeiros jogos, seis gols sofridos, nenhum feito, lanterna e o pior início do clube em um Campeonato Pernambucano. O péssimo começo tricolor na competição fez o presidente Alírio Moraes afirmar que “o sinal de alerta está aceso”. Assim, a partida diante do Central, em Caruaru, na Quarta-feira de Cinzas, ganha contornos de decisão.
“Esse jogo tem um caráter muito importante para a gente. O campeonato é muito curto e precisamos pontuar o quanto antes. A hora de reagir é agora, não dá mais para esperar. O sinal de alerta foi aceso”, disse Alírio Moraes ao Jornal do Commercio.
A principal indignação do presidente não é nem tanto o péssimo início em termos de resultados, mas sim no futebol apresentado, inclusive, na rodada passada, quando o Santa Cruz foi “engolido” técnico, tático e fisicamente pelo adversário sertanejo. “Evidentemente que ninguém espera começar o campeonato com duas derrotas expressivas, mesmo reconhecendo a qualidade dos adversários. Agora o jogo de ontem (domingo) foi uma decepção muito grande. O time esteve apático”, reconheceu o mandatário.
Entre os atletas que tiveram um rendimento muito abaixo do esperado estão o lateral-direito Moisés, o meia Guilherme Biteco, o goleiro Bruno e até a dupla de ataque Bruno Mineiro e Anderson Aquino.
Até o momento, o Santinha realizou 16 contratações e deve contratar, pelo menos, mais três até o fim do campeonato. A diretoria quer um lateral-direito, um lateral-esquerdo e um volante.
O alto número de contratações e a reformulação de um trabalho também estão pesando neste início de temporada, segundo afirmou Alírio. “Eu também sou uma pessoa absolutamente realista. É normal esse tipo de dificuldade, mas mantenho a confiança no trabalho de Ricardinho. Acredito que, com muito diálogo e trabalho, o time vai reagir para conquistar essa classificação ao quadrangular final”, disse.
O temor de uma não-classificação no Arruda, apesar de ter passado somente duas rodadas, é justificável. De fora das Copas do Nordeste e do Brasil, o Santa Cruz deixou de injetar uma boa quantia nos seus cofres. Assim, restaram apenas o Pernambucano e a Série B para angariar patrocínios, qualificar o número de sócios adimplentes e, com isso, manter o clube no azul. “Precisamos apresentar resultado para atrair mais torcedores aos jogos e aumentarmos a nossa renda. A nossa folha gira acima dos R$ 500 mil e mantê-la com dois torneios a menos não é fácil”, argumentou o presidente tricolor.
No atual elenco, ainda faltam estrear os meias João Paulo e Emerson Santos e o atacante Nathan. Além deles, na próxima rodada, o armador Pedro Castro, de fora contra o Serra Talhada por conta de uma lesão na coxa esquerda, deverá ficar à disposição. Mesma situação dos atacantes Waldison e Betinho. "Com o time completo vamos melhorar muito", encerrou.

Fonte: Jornal do Commercio, Recife, 10/02/2015

Nenhum comentário: