segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Maracutaia?


MARACUTAIA?

O campo de jogo do Santa Cruz agora é outro. Rebaixado há duas rodadas para a Série C, a disputa agora é na política. E quem está no ataque é a oposição. Mais especificamente, a chapa muda Santa Cruz, encabeçada por Albertino dos Anjos. Por intermédio da Justiça, o empresário obteve a lista de sócios cadastrados no clube. E encontrou algumas surpresas. Além de nomes de sócios “estranhos”, o próprio Albertino aparecia na lista como “inadimplente”, fato que ele desmente.
O dirigente alega que fez o pagamento de todas as mensalidades deste ano de uma só vez. Enviou para a reportagem boleto no valor de R$ 720,00 (setecentos e vinte reais) emitido em 9 de agosto de 2017, com vencimento no dia 13 de agosto, que caiu num domingo. Enviou também o comprovante de pagamento do boleto, datado de 14 de agosto (segunda-feira), primeiro dia útil após o vencimento.
“Eu tenho prova de que paguei a mensalidade do clube até dezembro. Se não está nos cofres do clube, eu quero saber onde foi parar. Se teve outra destinação, isso é apropriação indébita”, suspeitou o candidato. Albertino também questionou de forma veemente a presença de nomes “bizarros” presentes na lista, como “Fulano de Tal” e “Casado”, o que para ele são indícios de irregularidade. “Vou atrás desse Fulano de Tal para que ele vote em mim. E vou pesquisar esses ‘Casados’ também. Ou vou atrás de ‘Solteiro’, para tentar ganhar esse voto”, ironizou.
Diante dos problemas, Albertino promete ingressar com um pedido administrativo nesta segunda-feira, junto ao Santa Cruz, para obter a prestação de contas junto à atual gestão do dinheiro pago pelos sócios. Caso a sua demanda não seja atendida, fará o pedido judicialmente.


Resposta

Procurado pelo Superesportes, o diretor de marketing do Santa Cruz e responsável pelas campanhas de sócios, Dênis Victor, minimizou os problemas suscitados por Albertino. Sobre os “nomes bizarros” na lista, ele alegou que o preenchimento do cadastro de sócios é feito através de formulário na internet.
“Esse lance do fulano de tal, de ter dois nomes iguais... Se você reparar, os dois nomes iguais, o CPF é diferente, então são pessoas diferentes. O fulano de tal ou qualquer outro nome que apareça, quando você vai se cadastrar você se cadastra pela internet. Você vira sócio pela internet. Você bota o que você quiser. Isso não influencia em absolutamente nada a eleição porque, pelo estatuto do clube, cada urna tem um representante de cada chapa. É assim que funciona a eleição. E, obrigatoriamente, na hora do voto, se consulta pelo CPF o nome que está na lista e o associado tem que apresentar um documento com nome, CPF e foto. Então, se ele botou lá fulano de tal ou um CPF que ele criou lá, em qualquer gerador de CPF, ele vai chegar lá e não vai ter documento para apresentar. Não vai votar”, alega.
A justificativa não foi aceita por Albertino, que questionou a ausência de uma verificação dos dados inseridos nos cadastros do Santa Cruz, com um cruzamento com os dados na Receita Federal, por exemplo. “Isso é um argumento de quem é incompetente. De quem está brincando com o Santa Cruz. Porque há um encontro de informações. Não pode ser assim”, diz.
Quanto à inadimplência de Albertino, Dênis, após verificar o sistema, alegou que foram gerados três boletos no mesmo dia, no caso 9 de agosto. Por volta das 9h, das 12h e das 17h. Segundo ele, o boleto pago foi o do meio e por conta disso a situação de Albertino ficou registrada como “inadimplente”, o que ele admite ser uma falha do sistema. “Ele gerou os três boletos com a mesma condição, da anuidade. (...) O sistema ficou no aguardo que ele pagasse o último boleto que ele imprimiu. Por isso que acabou ficando como inadimplente, só para justificar o motivo do erro, mas ele está adimplente.” 


Fonte: Diario de Pernambuco, 19/11/2017

Nenhum comentário: