sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Quando os erros não perdoam


QUANDO OS ERROS NÃO PERDOAM

Rafael Brasileiro

Na tarde da última quarta-feira, a tabela da Copa São Paulo de Futebol Junior foi divulgada e o Santa Cruz não estava. Os boatos que o clube não participaria da competição foram confirmados, mas a falta de informações dentro do clube é assustadora. Isso ficou claro quando o diretor da base, Bleno Cruz, afirmou que ainda esperava a definição da direção.
“Estamos vendo internamente e é um boato que ouvi falar. Tem uma eleição pela frente e existe a falta completa de dinheiro. Tudo na base esse ano foi tudo na base de colaboradores. Podemos pedir para não ir”, afirmou ao Superesportes.
Minutos depois, ao conferir os grupos da competição, a reportagem ligou para questioná-lo sobre a tabela na qual o nome do Santa Cruz não constava. O dirigente, logicamente, ficou sem jeito e apenas afirmou que a decisão não era dele. “Alírio (Moraes, presidente do Santa Cruz) deve ter tomado a decisão dele e não sabíamos. O que você queria saber está respondido”, afirmou, em tom de lamento.
O ocorrido é apenas uma face do que acontece no dia a dia do Santa Cruz e se espalha em todos os setores do clube. E os exemplos não são poucos. O resultado é visto com a queda do time à Série C.
 

Departamento de futebol

Uma das últimas contratações para 2017 foi a do volante Bileu, que jamais entrou em campo com a camisa coral na temporada. O Tricolor foi a terceira transferência do atleta no ano. O fato poderia gerar uma punição ao Santa Cruz caso entrasse em campo, por ferir o regulamento geral das competições. Para evitar o pior, o clube consultou o STJD e a CBF. Questionou se o registro feito pela Tombense, onde o volante passou e não entrou em campo, teria efeito. Com a resposta negativa, Bileu não entrou em campo pelo Tricolor. Um erro que exemplifica as escolhas equivocadas na formação do elenco.

Comunicação do clube


Nas redes sociais, as escorregadas eram as mesmas. Após tentar adotar um perfil “engraçadinho” na sua conta do Twitter, a torcida se revoltou quando, em uma postagem, o clube criticou a ausência de público. Situação que fez a postura mudar rapidamente. No dia a dia, a ausência de informações claras era o que mais atrapalhava a cobertura do clube. Após mudanças na assessoria de imprensa, não se sabia quem estava no departamento médico, tempo de recuperação e era necessário estar cobrando informações básicas o tempo todo.

Administração


A nebulosidade é ainda maior. Não se sabe realmente quanto o clube tem em caixa, quanto tem bloqueado na Justiça, quantos sócios estão em dia e quanto o clube arrecada por mês. Uma resposta, ao menos genérica, ocorrerá nesta noite, quando a reunião do conselho deliberativo será realizada e Alírio Moraes esclarecerá alguns pontos.
O que motivou o início dessa matéria foi respondido pelo presidente. O Santa Cruz não jogará a Copa São Paulo porque o trabalho feito na base não agradou e a intenção é deixar o clube o mais enxuto possível para o seu sucessor.
“Fizemos uma avaliação sobre a base e sofremos um prejuízo muito grande com nossa crise financeira e a falta de campo. Dispensamos o coordenador por entendermos que o trabalho não foi bem feito. Como está em final de mandato e realmente pretendo limpar a casa para entregar o clube da forma menos poluída possível, essa Copa entra em um momento de transição. Acho que deve se partir para um projeto iniciado do zero”,justificou Alírio Moraes, que admitiu ter esquecido de avisar ao seu diretor da base por estar preocupado com outros aspectos do clube na reta final da sua administração.


Fonte: Diario de Pernambuco, 23/11/2017

Nenhum comentário: