sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Daniel Sobralense se mostra animado


DANIEL SOBRALENSE SE MOSTRA ANIMADO

Rafael Brasileiro
Em 2017, o Santa Cruz teve graves problemas com seus armadores. Léo Costa, Pereira, Léo Lima, João Paulo, Thiago Primão e Jeremias foram alguns dos nomes utilizados como “camisa 10” do Arruda. Tentativas que não deram certo. Com um orçamento bem mais modesto em 2018, o Tricolor do Arruda apostou em nomes promissores, como Hericles e Arthur Rezende, jovens promessas. Porém, também trouxe o experiente Daniel Sobralense, de 34 anos, que chega ao clube como referência na armação.
Pelo histórico recente no clube e pelo rótulo dado, a pressão deve ser grande por boas atuações logo cedo. Situação que Daniel não mostrou preocupação e afirmou estar preparado para ser o maestro do meio de campo. “Não tem como não ter pressão em um clube como o Santa Cruz. Os clubes do Nordeste são clubes de grandes torcidas, de massa. Temos que tirar proveito disso. É muito ruim chegar em um clube que não tem torcida. Acho que a questão também é que às vezes tem jogador que dá certo em um clube e não dá no outro. A minha expectativa é que possa fazer um grande 2018 e ajudar o Santa Cruz.”
O meia afirmou diversas vezes que está feliz de voltar ao Recife, cidade que passou em 2008, quando vestiu a camisa do Náutico. O seu desejo é de ter um 2018 que seja inesquecível para ele e para o Santa Cruz e por isso pediu união de todas as partes.
“Estou me preparando, estou feliz e empolgado. Espero que em 2018, todos nós jogadores, diretoria e torcedores possam estar no mesmo trilho para que a gente possa conquistar nossos objetivos. Se algum de nós sair dos trilhos não vamos para lugar nenhum. Se fizemos nossos trabalho aqui e a diretoria não fizer a parte deles, ou a torcida não comparecer, vai ficar difícil para chegarmos às finais de campeonatos”, declarou.
A escolha em defender o Santa Cruz em 2018 foi simples segundo o atleta por dois motivos. Primeiro por se tratar do Santa Cruz, um clube de grandes conquistas segundo o jogador, mas também pelo segundo convite do ano do técnico Júnior Rocha, algo que ele encarou como um sinal.
“Recebi o convite do professor Júnior Rocha, algo que ele já tinha me feito em janeiro, e não pensei duas vezes. Achei que ele estava me procurando mais uma vez e pensei que podemos fazer um 2018 muito bom. Temos pouco tempo de treinamento e espero estarmos prontos para o próximo dia 16”, lembrou.
Durante sua apresentação, Daniel Sobralense também lembrou que disputou a Série C por dois anos pelo Fortaleza. Uma experiência dura já que o clube não conseguiu o acesso à Série B no período que ele estava lá, mas que lhe dá experiência suficiente para mostrar o caminho ao Santa Cruz e aos seus companheiros de equipe, ao ponto dele entender que pensar na competição nacional nesse momento é um erro.
“Série C é difícil e a reta final é um momento que temos que ter consciência. Espero que possamos fazer um primeiro semestre muito bom e depois pensar na Série C. Não podemos ficar pensando logo em colocar o Santa Cruz na Série B. Estaremos mais capacitados e mais entendedores do que o Júnior Rocha quer.”

Fonte: Diario de Pernambuco, 04/01/2018

Nenhum comentário: