segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Cerveja, música e pelada para celebração dos 104 anos


CERVEJA, MÚSICA E PELADA PARA CELEBRAÇÃO DOS 104 ANOS

Daniel Lima

 
“O Santa Cruz nasceu e viverá eternamente”, profetizou o tricolor Alexandre Carvalho, um dos fundadores do clube, que completa 104 anos de existência neste sábado. Em 3 de fevereiro de 1914 surgiu o “Terror do Nordeste”. Foi o início de uma história com muita empatia popular. O primeiro time a receber negros congrega até hoje todas as classes, tribos e raças. Por sempre contar com a dedicação de seus milhares de torcedores, ganhou a alcunha de Mais Querido.

O lançamento de produtos e a tradicional pelada movimentam a programação de aniversário. O clube apresenta uma cerveja artesanal (Colosso Coral) e um café (Tradição Coral) na sede social, a partir das 8h. Representando a essência de clube do povo, a torcida Portão 10 divulga o CD de músicas cantadas nas arquibancadas, em frente ao pátio da Igreja de Santa Cruz, no bairro da Boa Vista. No mesmo local, o Movimento Popular Coral promove um bate-bola entre torcedores.
Atualmente membro da Comissão Patrimonial, João Caixero é o idealizador do projeto de arrecadação de fundos para a construção do centro de treinamento Ninho das Cobras. “Todos os produtos têm a marca do Santa Cruz e estamos angariando recursos para as obras no terreno. Espero que tenhamos sucesso”, disse o ex-presidente. O bolo de rolo inaugurou a linha de mercadorias ainda no mês de setembro do ano passado. Além disso, cadernos, agendas, chaveiros e calendários foram colocados à venda.
A participação dos artistas pernambucanos Maestro Spok e Cannibal, torcedores ilustres do Santa, no álbum da P10 valoriza a cultura local. Outros contribuintes são Camilo Maia, Daniel Bueno, Bantus Reggae e Catarina Dee Jah. “O disco é composto por cânticos da torcida. Fizemos algumas paródias de músicas de Alceu Valença (Anunciação), Raul Seixas (Gita) e Paralamas do Sucesso (Uma Brasileira). O CD era um projeto antigo, mas tomamos a atitude de executá-lo no fim de 2016”, contou Reginaldo Lima, integrante da torcida desde 2011 e responsável pela iniciativa.
Formador da banda Devotos, Cannibal revelou que o amor e a paixão pelo Tricolor foram determinantes para topar o convite. “O Santa sempre fez esteve na minha vida e gravar já faz parte do meu trabalho. É muito bom pra mim. Independente da situação, eu vou sempre querer ajudar do meu jeito”, afirmou o cantor.
Evento simbólico retratando, no presente, o passado, a pelada centenária (masculina e feminina) chega a sua quinta edição. Padronizados com camisas e boinas da época, os membros do Movimento Popular simbolizam o nascimento do Santa Cruz no mesmo local onde tudo começou. Há 104 anos, um grupo de 11 garotos, com idades entre 14 e 16 anos, residentes no bairro da Boa Vista, nas imediações do centro do Recife, decidiu tornar sério o bate-bola e fundar um clube. Eles costumavam jogar futebol no pátio da Igreja de Santa Cruz.
“Organizamos a pelada para que os torcedores possam jogar bola onde surgiu o clube em 1914. Esse é o principal intuito da celebração. Realmente conseguimos uma consolidação do evento”, declarou Lucas Pinto, um dos organizadores da festividade.

Serviço


Cerveja artesanal - R$ 25 (600ml), na sede social do clube, às 8h
Café - R$ 16 (250g), na sede social do clube, às 8h
CD Avante Santa Cruz - R$ 10 (popular), no pátio da igreja de Santa Cruz (bairro da Boa Vista), às 19h30.
Pelada centenária - Gratuito, no pátio da igreja de Santa Cruz (bairro da Boa Vista), às 17h.


Fonte: Folha de Pernambuco, 03/02/2018

Nenhum comentário: