quarta-feira, 7 de março de 2018

Pés no chão


PÉS NO CHÃO

Laís Leon

Regularizado e apto para jogar a Copa do Nordeste, mas fora do Estadual porque chegou após o final do prazo de inscrições, o zagueiro Danny Morais, 32 anos, foi oficialmente apresentado no Arruda como novo reforço do clube na tarde desta segunda-feira. Ele retorna ao Tricolor depois de ter passado cerca um ano jogando no clube Busan IPark, da Coreia do Sul, cumprindo o que chamou de “um objetivo pessoal”. O atleta defendeu o clube pernambucano nas temporadas de 2015 e 2016, quando optou pela mudança na carreira de ir disputar o campeonato sul coreano. Traçando um paralelo entre o Danny Morais que deixou o Santa em 2016 e o Danny que se reintegra ao elenco em 2018, o jogador garante acréscimos táticos que podem ajudar bastante a equipe.
“O futebol é muito diferente na Coreia do Sul. É um futebol mais corrido e que pede mais velocidade do atleta. Há uma exigência tática maior, e um dos meus maiores acréscimos foi em relação à intensidade no ritmo de jogo. Para que se tenha noção, no meu primeiro jogo de pré-temporada lá, eu corri 12 quilômetros, enquanto aqui, na Série A, eu corria uma média de 9 quilômetros. Por isso, precisei modificar minha postura de jogo quando fui para lá. Trago pontos positivos, principalmente no quesito do posicionamento tático. O que eu puder fazer para ajudar com certeza vou dividir com meus colegas”, explicou o zagueiro, que destacou um período difícil de adaptação no futebol sul coreano.


Realidade do clube e retorno ao tricolor


Feliz por poder voltar a atuar pelo Santa Cruz, Danny analisou a atual realidade do clube, em vários sentidos, constatou melhoras significativas e garantiu envolvimento direto na manutenção das evoluções. “Eu vejo um clube mais organizado, mais pés no chão. Eu acredito muito. Por isso que estou aqui. Espero que tudo o que está sendo prometido, se cumpra. Sempre que estive aqui, briguei por isso, nunca me omiti de nada e vou continuar brigando, é minha característica, mas sempre em prol do clube e das suas conquistas. Mesmo estando nesta linha de frente, minha postura sempre foi uma coisa positiva para o clube, tanto é que quiseram o meu retorno”, comentou o recém chegado.
O novo reforço da cobra coral confessou ter sofrido e se entristecido, mesmo que de longe, com a crise pela qual passou o clube do ano de 2016 (quando o Santa Cruz foi rebaixado à Série C) e explicou ainda que quis voltar pela história que construiu no clube. O defensor garante querer ajudar a equipe, que, segundo ele, já está em evolução, a galgar posições maiores e merecidas. “Não venho como a salvação para o time, mas como uma opção para ajudar, num lugar onde eu sempre fui muito querido e onde eu sempre me senti muito bem”, garante ele, justificando a “passagem de sucesso” que teve no clube.


Os débitos por parte do Santa Cruz


Danny Morais se desligou do Santa em uma fase delicada de crise financeira. Dessa forma, o zagueiro saiu do clube sem receber todos os pagamentos salariais que lhe eram devidos. Apesar de afirmar que vai em busca de seus direitos, o atleta deixou claro que os débitos tricolores nunca foram uma condicional para o seu retorno. “Os débitos realmente existem. Claro que eu quero solucionar esses problemas, e estando aqui é mais fácil, mas essa nunca foi uma condição imposta por mim para voltar a jogar. Estou correndo atrás disso, mas vim com tudo pronto, já sabendo que eu viria para ficar”, destacou Danny.
 

Elogios ao time 

Questionado sobre o treinador Júnior Rocha e o desempenho do time como um todo, o recém chegado não poupou suas pontuações positivas. “É um time muito bem treinado. Júnior Rocha tem pulso e sabe levar a equipe. Ele tem um esquema de jogo simples e sabe cobrar da equipe. Não tem porque não se encaixar nesse time. Observei também uma entrega grande dos companheiros. O treinamento da equipe é algo muito positivo. Com a minha experiência, acho que posso agregar para crescermos juntos”, disse Danny Morais, que enxerga um grupo em ascensão e acredita em um Santa Cruz forte na briga por títulos.

Fonte: Diario de Pernambuco, 05/3/2018

Nenhum comentário: